Os Mortos de Sobrecasaca

"Havia a um canto da sala um álbum de fotografias intoleráveis, alto de muitos metros e velho de infinitos minutos, em que todos se debruçavam na alegria de zombar dos mortos de sobrecasaca. Um verme principiou a roer as sobrecasacas indiferentes e roeu as páginas, as dedicatórias e mesmo a poeira dos retratos. Só não roeu o imortal soluço de vida que rebentava, que rebentava daquelas páginas."

Carlos Drummond de Andrade, Os Mortos de Sobrecasaca (Sentimento do mundo, 1940)

Fotografias de outros tempos...

Janelas para o passado... É o que se pretende mostrar neste espaço! Fotografias antigas do tempo do Castro "Manco". São imagens de diversas proveniências que vão sendo encontradas e recolhidas, tendo como principal objetivo divulgar as gentes e o património das Terras de Basto.


CABECEIRAS DE BASTO


Soldados junto à estátua "O Basto" durante as incursões
 monárquicas. Cabeceiras de Basto, 1912.
Fonte: SIPA, www.monumentos.pt
Estátua "O Basto".
Estátua "O Basto", início do séc. XX.
Fonte: SIPA, www.monumentos.pt
Vila de Cabeceiras de Basto, atual Praça da República.
Vila de Cabeceiras de Basto, atual Praça de República.
Vista do Mosteiro de São Miguel de Refojos e atual Praça da República.

Vila de Cabeceiras de Basto, atual Praça da República.
Do lado esquerdo, a antiga Casa do Barão de Basto.

Casamento de José Leite da Cunha Júnior, da Casa do Sardoal, com Emília Carneiro Baptista.
Arco de Baúlhe, 1 de Março de 1920.
Fonte: www.facebook.com/cronicaarcoense 

CENAS DO QUOTIDIANO


O dia de domingo em Cabeceiras de Basto.

Sapateiro do Arco de Baúlhe, séc. XX, anos 40.
Fonte: www.facebook.com/cronicaarcoense

A barca que fazia a travessia do Tâmega. Arco de Baúlhe, séc. XX, anos 50.
Fonte: www.facebook.com/cronicaarcoense








Sem comentários:

Enviar um comentário